Como montar uma carteira de ações?

Tempo de leitura: 4 minutos

Carteira de Ações, pode onde começar?

Quando alguém fala para você sobre o Mercado de ações e Carteira de Ações, o que vem na sua cabeça?

– Meu tio perdeu tudo.
– É coisa para rico.
– Isso é loteria.
– Só ganha dinheiro com esse investimento quem é profissional.

Se você pensou em uma das frases acima ou em todas elas, não se preocupe, você é normal.

Vamos lá, comecemos a desmistificar esse mercado para então, explicar como montar uma carteira de ações.

O que são ações?

Ações é a menor parte do capital social de uma empresa, quando você compra uma ação, você se torna sócio de uma empresa.

Significa que o retorno de seu investimento será através do crescimento da empresa que será representado pelo aumento das cotações em bolsa de valores e pela distribuição dos lucros da empresa a você.

A razão de trazer esse tema para você agora é que mais uma vez estamos iniciando um ciclo, na verdade já começamos há dois anos.

O ciclo de baixa nas taxas de juros, leva historicamente a alta nas bolsas de valores.

Oportunamente mostraremos um gráfico onde podemos constatar que a vida é cíclica e o mercado financeiro não é diferente.

O exemplo que podemos dar agora a você é que após a penúltima crise (1998 à 2002), a bolsa de valores do Brasil subiu entre 2003 a 2008 ao redor de 800% em média.

Se analisarmos algumas empresas específicas a alta foi substancialmente maior.

Você conhece a história do copo meio cheio ou meio vazio?

Participam da Bolsa de valores brasileira algo ao redor de 0,50% da população ativa, ou seja, 500.000 CPF’s.

Nos EUA esse número gira em torno de 62%, na Espanha 37%, na China 3%.

Essa ínfima participação na bolsa brasileira para você é oportunidade ou problema? O copo está meio cheio ou meio vazio?

Como montar uma carteira de ações ?

Tudo tem um começo e é por isso que estamos aqui.

Chegou a hora de explicar:

O primeiro passo é definir se a composição da carteira será por empresas que historicamente pagam bons dividendos ou empresas com maior volatilidade.

Comecemos explicando que dividendos é a distribuição da parte dos lucros da empresa aos acionistas.

Esse pagamento ocorre todo ano e no mínimo as empresas distribuem 25% do seu lucro.

Sendo assim, cabe falar que é muito importante o reinvestimento desses dividendos.

Isto porque comprando mais ações, na próxima distribuição de dividendos, receberemos um valor ainda maior.

Ao formarmos a 1ª carteira de ações temos de respeitar alguns critérios.

Considerando que estamos nos associando as empresas para saborear seu crescimento e receber dividendos.

Temos de estar conscientes de que nos momentos de baixa, desde que estejamos em boas empresas, devemos vibrar e não sofrer.

Fácil conclusão, pois é momento de comprar mais ações à preços mais baratos.

Mas, bolsa não é achômetro e por isso buscamos informações na escola fundamentalista.

Para a escolha das melhores empresas que irão compor a carteira de investimentos.

Há indicadores como P/PVA (preço sobre valor patrimonial), onde analisamos o preço da ação em bolsa em relação ao valor patrimonial da empresa. Imagine que a ação de uma empresa está cotada a R$8,00 na bolsa e o valor patrimonial por ação é de R$10,00. Isso significa que a ação está cotada com um desconto de 20% em relação ao valor de seu patrimônio.

Outro indicador é o Tag Along, que cada vez mais é utilizado pelas empresas. De forma simples, significa que caso a empresa seja vendida e ela tenha optado por um Tag Along de 100%, o acionista minoritário receberá o mesmo valor que o majoritário (dono) receberá pela negociação.

Apenas mais um, entre vários, é o P/L. É o indicador que representa a relação entre o preço e o lucro. Vamos admitir que uma empresa esteja cotada à R$10,00 e o lucro dela foi de R$2,00. Dividindo os R$10,00 pelos R$2,00 teremos 5 anos, ou seja, se recebermos os R$2,00 por ano em 5 anos dobraremos o capital.

Os Próximos passos, mas não menos importantes!

Um próximo passo na formação de uma carteira é definir quantas empresas a irão compor, quais setores e como reequilibra-la ao longo do tempo.

Assim, na medida que as compras forem acontecendo, temos de calcular o preço médio, tanto para efeito tributário, assim como para o gerencial.

Falando em tributação é muito importante calcularmos mensalmente os resultados, pois se houver lucro devemos recolher o imposto e no caso de prejuízos, temos de guardar para compensação futura.

Esse tópico é tão importante que damos uma atenção especial quando realizamos nosso curso sobre como formar a 1ª Carteira de Ações.

O controle é fundamental para tranquilidade nas tomadas de decisões.

Concluindo, a diferença entre perdedores e vencedores na vida e na bolsa não é diferente, está no conhecimento, na determinação e na disciplina.

Bolso Forte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *