Finanças? Isso não é para mim…

Tempo de leitura: 11 minutos

Finanças
Finanças

Certamente você ja ouviu ou ja pensou “Finanças, isso não é para mim!”

Será?

Acima de tudo, são afirmações como essas que afastam as pessoas da prosperidade.

Claro que não apenas isso, mas tudo pode começar com um pensamento desse.

Então, pergunte para as pessoas próximas de você sobre o assunto finanças e verá que muitos dirão que é tudo muito difícil, eventualmente falam em economês, que não tem tempo para isso e outras coisas.

Bem como parece haver um bloqueio nas pessoas em relação ao dinheiro, a enriquecer, enfim ficar rico.

Apesar que não é tão difícil explicar esse comportamento, afinal já conversamos com tantas pessoas e ouvimos tantas coisas que conseguimos reunir bagagem para entender e dar algumas ideias.

Sobre enriquecer, mesmo que as pessoas tenham vontade, muitas param em pensamentos como:

– Como vou enriquecer, se a economia do país não está bem?

– Não consigo guardar dinheiro, jamais ficarei rico.

– Minhas finanças estão um caoso e só penso em quitar minhas dívidas.

– Não tenho capacidade para cuidar desse lado financeiro, pois é tudo complicado.

– Não vai ficar bem ter dinheiro sobrando, se toda minha família é de origem simples.

– Dinheiro é sujo…

– Não me sinto estimulado a economizar.

– Quem tem muito dinheiro é porque roubou.

Percebe os bloqueios mentais? Isso chama-se crenças limitantes.

Crenças limitantes são coisas que você acredita e que te limita realiza-las.

Precisamos trabalhar nossa mente, para superá-las e nos lançar a prosperidade.

Assista o nosso último resumo semanal

Controlar finanças pessoais

Em primeiro lugar passarei informações simples que qualquer pessoa pode praticar e eu tenho certeza, que se você der uma chance a você mesmo, vai ficar extremamente feliz após algum tempo.

Diferentemente do que a maioria diz, sou contra fazer grandes sacrifícios, praticar fórmulas mirabolantes para conseguimos a prosperidade financeira.

Mas, uma das principais rejeições que tenho é perder qualidade de vida no presente em nome do futuro.

Sabe por que?

Pois simplesmente dá para você ter as coisas ao mesmo tempo.

Primeiramente, comece conhecendo sua realidade financeira e sua capacidade de poupança.

Para isso faça o orçamento de suas finanças e veja quanto está tendo de sobra para investir.

Usei a palavra sobra de propósito e devemos evitá-la.

Sobra nos remete a lixo, a pouca coisa e a algo que nosso cérebro vai tentar rejeitar.

Pense que seja o quanto for, a diferença positiva entre sua receita e seus gastos é algo importante e que vai mudar sua vida, acumulando ao longo do tempo.

Portanto essa diferença chama-se capacidade de poupança e é exatamente o que te deixa rico(a).

É extremamente importante investirmos corretamente para que nossos sonhos sejam materializados.

Sempre buscando o investimento adequado a eles e ao nosso perfil, assim como a otimização da rentabilidade.

Importante de verdade, só que a rentabilidade não é o que te deixará rico e sim os aportes mensais.

A rentabilidade cumpre o papel de acelerar esse enriquecimento.

Voltando a sua gestão financeira doméstica

Percebeu como a importância disso já mudou?

Faça da maneira mais honesta possível, porque muita gente se auto sabota quando faz, lance cada despesa no lugar certo.

O cartão de crédito deve ser lançado item por item e não de maneira genérica, as despesas com restaurantes devem ser separadas se for alimentação no trabalho ou lazer.

Despesas no supermercado separe o que é essencial do supérfluo, enfim veja efetivamente para onde vai seu dinheiro.

Além disso, Não ignore absolutamente nada, pois nunca tropeçamos em montanhas e sim em pedrinhas.

Mas, não pense que vai começar um sofrimento e que não poderá comprar mais nada.

Não é isso !

Acima de tudo, lembre-se que sou contra perder qualidade de vida.

Apenas, quero que você saiba como está sua vida financeira.

O segundo passo é fundamental, preste atenção.

Provavelmente você tenha lançado tudo, inclusive aquelas despesas que você sabe que vai acontecer durante o ano, tipo IPVA, IPTU, matrícula das crianças, etc.?

Então, é importante você separar o dinheiro dessas despesas previsíveis, para que não fique com a corda no pescoço quando elas chegarem e muito menos correr o risco de ter que entrar, por exemplo, no limite do cheque especial.

Certamente cheque especial é sinônimo de forca, isto porque os juros cobrados são absurdos.

Não pague juros para ninguém, programe-se e receba juros através dos investimentos.

Exato, é isso que você tem de fazer.

Pegue o valor dessas despesas, divida pelo número de meses que ainda falta para pagar e invista numa aplicação adequada para ter o dinheiro quando chegar a época do pagamento e receba juros.

Na oportunidade, resgate e pague à vista se possível e normalmente é, com desconto.

Junte o desconto e os juros recebidos enquanto o dinheiro esteve aplicado.

Já ouviu falar que de grão em grão a galinha enche o papo?

Portanto, é assim que funciona, pode acreditar que ninguém junta 1 milhão por mês.

É de pouco em pouco que a fortuna chega.

Logo depois vem os investimentos e aí vem outras crenças limitantes, que entre várias, podemos citar:

– Não entendo nada dessa sopa de letrinhas que o mercado financeiro fala.

– Não estudei economia, como vou entender tudo isso?

– É mais fácil entregar para o banco fazer o melhor. Fazer o melhor? Pra ele banco claro…

Aí está uma coisa que eu posso garantir para você.

Milhares de pessoas assistiram nossas aulas e é unânime que ao terminar, dizem:

– Por que não me informei antes?

– Quanto tempo perdido dando dinheiro para os bancos.

– Fiz previdência privada pagando um monte de taxas e podia ter feito sozinho(a), com custos muito menores e etc.

Nosso argumento

Simplesmente relaxe…

Vire a página e comece agora, o que você não pode fazer é saber que podia ser melhor e continuar fazendo errado.

Saiba que existem investimentos para todo tamanho, para cada sonho e para cada perfil do investidor.

Aqui dizemos e assim praticamos que o importante não simplesmente ter as informações e ir para casa.

Nós trabalhamos com o sentido da continuidade, ou seja, após o curso, procuramos manter o relacionamento para que o aluno(a) fique atualizado e atuante.

Acredite, muitas pessoas que nunca tinham investido ou até estavam endividadas, começaram a sentir a prosperidade com pequenos valores e mais do que começar a guardar e investir bem, tomaram o hábito de investir.

E quem não gosta de coisa boa?

Gerenciar finanças pessoais.

Eu tenho certeza de que você deve estar dizendo, mas como não perder qualidade de vida, se não me sobra dinheiro para nada. Opa, olha eu outra vez falando em “sobra”.

Lembra de que devemos fazer o orçamento?

Então depois de lançar tudo direitinho, assinale aquilo que de repente você SALVOU de dinheiro.

Enfim, salvar dinheiro significa evitar gastos tolos e transformar o dinheiro que já está na nossa vida e indo para o ralo em investimentos.

Vou dar alguns exemplos, reflita e tente mudar seu comportamento para SALVAR esse dinheiro, e veja se você perderá qualidade de vida.

Salvando dinheiro

  • Coloque um filtro de linha e conecte a TV, TV a cabo, internet e outros aparelhos, com exceção da geladeira. Quando for usar bastar ligar um único botão do filtro. Essa atitude deve salvar algo ao redor de 20% da sua conta de energia. Imagine que sua conta mensal de energia seja R$100,00 com essa atitude, você salvou R$20,00.
  • Antes de ir ao supermercado veja os mantimentos que ainda têm e estão na validade e simplesmente não compre mais. Não vai ser difícil você salvar uns R$15,00 numa compra de mês.
  • Se você come 3 ou 4 pizzas por mês, tente deixar de comer uma no mês e veja se lhe faz diferença. Se não, acabou de salvar uns R$40,00, no entanto se achar que perdeu qualidade de vida, vamos tentar salvar em outra coisa.
  • Abra uma conta bancária num banco digital, onde não te cobram aquelas taxas de manutenção mês a mês. Não tem sentido pagar essas taxas, se você tem os mesmos serviços grátis, não é verdade? Facilmente são mais uns R$30,00 para suas finanças, ao invés do bolso do banco.
  • Negocie a taxa de administração do cartão de crédito. Claro que você vai ter dificuldade e vai precisar de muita paciência. Faça assim, prepare um copo de suco de maracujá e diga para seu cérebro: Hoje quem vai ficar nervoso(a) é a atendente e não eu. Relaxe! Seu bolso vai crescer uns R$20,00, fácil.
  • Um dos grandes vilões em casa é chuveiro. Mantenha quando o clima está agradável no modo “verão”. Isso significa salvarmos mais uns 20% de sua conta, ou seja, R$20,00 para investimentos.
  • Se tem sem parar ou algum semelhante, pense se realmente utiliza, essa despesa mensal de mais ou menos R$20,00. Será que você tem apenas para entrar e sair mais rápido do shopping?

Melhorando minhas finanças

Acho que já está bom, apesar de ter muita coisa ainda. Caso alguma das ideias acima lhe incomodou ou o fez perder qualidade de vida, mude para outra e continue salvando.

Vamos fazer uma continha então:

Fiz uma conta imaginando que eu tenha pego os R$165,00 que SALVEI nos itens que a pouco comentamos e fiz alguns investimentos.

  • Caso tivéssemos investido os R$165,00 por mês no mercado de ações entre 2016 e 2017, ou seja por dois anos, teríamos:

Escolhemos quatro empresas que todos conhecem. Veja os resultados:

– Petrobrás = R$ 6.068,68

– Gerdau = R$ 6 .947,53

– Vale = R$ 9.041,93

– Mag. Luíza = R$ 45.469,14

Ok, eu sei o que você está pensando.

“Você é maluco em investir em ações? Um baita risco e ainda posso perder todo dinheiro.”

Em primeiro lugar, claro que não estou sugerindo nada e é importante, como qualquer coisa na vida, saber o que está fazendo.

Mas, lembre-se do que falei lá atrás, que é muito mais fácil do que a maioria das pessoas imaginam.

Entenda os ciclos da bolsa de valores.

Depois, lembre-se que o risco de qualquer coisa está associado ao desconhecimento e isso só depende de você.

Pense bem no que vou dizer agora

Para onde esse dinheiro estava indo? Quanto que você conseguia guardar antes de salvar esse dinheiro.

Você algum dia acreditou que em dois anos poderia reunir esse dinheiro?

Pronto, de repente conseguiu o dinheiro para aquela viagem que sonhava há anos.

Opa, tá vendo como se preocupar com as finanças é bom e simples?

Percebe que não perdeu qualidade de vida no presente e ganhou no futuro?

Mas, vamos fazer mais continhas.

  • Imagine que você invista os R$165,00 SALVOS por 20 anos a uma taxa de juros de 1% ao mês. É verdade, que quando escrevo este texto (janeiro/19) as aplicações de renda fixa não estão pagando isso, mas pelos próximos 20 anos e pelo histórico do Brasil, não é uma coisa totalmente descabida.

De toda forma, não tenho a intenção da precisão e sim de mostrar que o dinheiro que ora vai para o ralo, pode render muito se começarmos a nos preocupar com ele, através de mudanças simples de comportamento.

Ao final de 20 anos, considerando este exercício, teremos a quantia de R$ 163.227,00.

Muito tempo 20 anos?

Pense que 20 anos passarão e a única diferença é chegar lá com ou sem esse dinheiro.

Faz sentido para você?

Quero muito que você tome uma decisão.

Definitivamente, pense que não tem nada haver se sua família é simples, se a economia está indo bem ou não, porque sempre haverá investimentos adequados para o momento econômico, para seu perfil e seu sonho.

Em resumo você não precisa ter expertise em finanças para fazer isso que tratamos neste texto.

Dessa forma, elimine as crenças limitantes e seja feliz.

Nos acompanhe também nas nossas Redes Sociais:

Facebook
Instagram
Youtube
Blog

Bolso Forte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *