Como começar a investir? 4 Passos

Tempo de leitura: 5 minutos

Certamente, Como começar a investir é uma dúvida que já veio na cabeça de qualquer Brasileiro.

Por falta de cultura de educação financeira, pensou em investimento, pensou em Banco.

Os problemas começam nesse pensamento.

Banco, como todos sabem é uma Instituição que ganha dinheiro com dinheiro das pessoas.

Sendo assim, quanto mais o Banco ganha, menos as pessoas recebem e vice e versa.

Tendo em vista que os resultados dos Bancos só aumentam e os lucros são sempre na casa dos bilhões, fica claro que os clientes estão pagando essa conta.

Faz parte, é o sistema!

Mas você não é obrigado e não deve aceitar isso. Então, voltamos a pergunta inicial: Como começar a investir?

Passo 1Se informar, aprender!

Atualmente, nada é mais importante do que a informação.

Assim, a partir do momento que você entender que investir no Banco não é mais seguro do que através de uma Corretora (segurança é a mesma) e que existem diversos investimentos que você pode fazer, independente do valor inicial, estará pronto para o passo 2.

Passo 2Abrir conta numa Corretora de Valores

Corretoras de Valores são Instituições Financeira que você abre uma conta em seu nome e passa a ter acesso a diversos tipos de investimentos.

Por exemplo: CDB, Fundos de investimentos, Ações, Tesouro Direto, entre outros.

E por que uma Corretora é melhor do que o Banco?

Bancos gastam fortunas com estrutura, marketing, clientes devedores, por isso precisam vender “caro” o seu produto para que tenham lucro.

O “problema” é que o produto do Banco é o seu dinheiro e para ele vender, ele precisa pagar pouco para você.

Um outro ponto é que as pessoas, por falta de educação financeira não são exigentes, não perguntam, não discutem com o gerente e isso faz o Banco se aproveitar na sua “inocência” para pagar muito pouco no seu investimento.

No caso das Corretoras, as estruturas são mais enxutas, investimento em marketing é infinitamente menor e quase não há prejuízo com clientes.

Além do fato, de que você só sai do Banco para uma Corretora para ter um rendimento melhor, o que obriga a Corretora a remunerar melhor o seu dinheiro.

Passo 3Transferir o dinheiro para Corretora

Depois que você aprender que Corretoras são seguras e abrir a sua conta em uma dela é hora de começar a investir.

E a primeira pergunta é: Como investir?

O processo para fazer o investimento em si, é muito simples. Você faz uma transferência de mesma titularidade da sua conta no Banco para a sua conta na Corretora e você estará com o dinheiro disponível para investir.

Passo 4Onde investir dinheiro?

Você precisa definir quais os seus planos de curto, médio e longo prazo para assim escolher (com ajuda de um assessor), quais os melhores investimentos para você.

Então, vamos utilizar alguns exemplos para que fique claro como investir e onde investir dinheiro.

Exemplos de vida para começar a Investir.

Exemplo 1:

Mário tem 30 anos e R$ 10.000 na poupança que ele quer utilizar daqui 12 meses para fazer uma viagem.

Como Mário não tem muito tempo e não pode correr nenhum risco com esse dinheiro, ele precisa investir em algo conservador.

Exemplos de investimentos conservadores: Tesouro Direto, CDB, LCI, LCA e Fundos de investimentos de renda fixa.

Portanto: Onde investir dinheiro: Tesouro Selic, LCI, LCA ou fundos de investimentos em renda fixa.

Como começar a investir: Sempre que você abrir conta numa Corretora terá acesso aos produtos, através de uma plataforma (tipo um Internet Banking), onde constará: a rentabilidade, o prazo e o valor mínimo. Basta clicar no produto que mais fizer sentido para você e o seu dinheiro estará aplicado.

Ou você também poderá contar com um Assessor de investimentos que fará essa parte operacional para você. Como preferir!

Exemplo 2:

Joana, 40 anos, tem uma receita de R$ 5.000 por mês e gasta R$ 4.000. Ela possui R$ 48.000 na poupança e quer comprar ações para sua aposentadoria.

Antes de mais nada, você pode comprar ações sempre que quiser, com pouco dinheiro e se precisar do valor, em 3 dias estará na sua conta.

Mas, a nossa sugestão é sempre focar no longo prazo!

Somente invista em ações aquele valor que você pode esperar, caso aconteça alguma crise e para isso, é necessário que se tenha um colchão financeiro.

Colchão financeiro é sua reserva de emergência. Varia de caso a caso, mas entendemos que o seu colchão tem que ser 12x os seus gastos mensais. No caso da Joana 12 x R$ 4.000 = R$ 48.000.

Portanto, Joana tem o colchão financeiro, mas precisa investir melhor.

Se é reserva de emergência não se pode correr risco e esse valor tem que estar disponível caso seja necessário.

Exemplos de Produtos para Investir:

Tesouro Selic, Fundos de renda fixa um multimercado (mais conservadores), LCI, LCA e CDB.

Dessa forma, o colchão financeiro da Joana estará turbinado e ela está pronta para comprar ações.

Lembra que Joana ganha R$ 5.000 e gasta R$ 4.000 por mês? Portanto, ela tem R$ 1.000 para comprar ações. Não esquecendo que o foco para ações é de longo prazo.

Para comprar ações, ela precisará definir quais empresas ela gostaria de ser sócia (por exemplo: Bancos, Varejo, Siderurgia, Petróleo), seguir alguns critérios (mas isso fica para um outro texto) e então comprar.

Para comprar ações, ela acessa a plataforma da Corretora ou solicita ao Assessor que faça essa operação.

Portanto, seguindo esses 4 passos você estará investimento de forma muito mais rentável do que se ficasse no Banco.

E claro, quanto mais se informar, mais aprender, mais rentabilidade terá nos seus investimentos.

Seguindo a mesma direção, nós temos alguns posts para quem deseja investir:

Como guardar dinheiro

Corretora de Valores

Onde Investir




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *